Tudo que você saber sobre Pisos Vinílicos

Os pisos vinílicos são formados por um composto de policloreto de vinila (PVC) misturado a aditivos específicos que conferem maleabilidade e resistência. Estão disponíveis em placas e mantas. Resistência ao atrito, capacidade de isolamento termoacústico e variedade de cores e padrões tornam-os apropriados para os mais diversos ambientes internos, incluindo escritórios, comércios e instalações hospitalares. Grande parte dos pisos disponíveis no mercado são recomendados apenas para uso interno, pois perdem a cor com a exposição ao sol e não resistem a chuvas e água constante, que provocam seu descolamento. Para evitar a descoloração em pisos expostos, próximos a janelas e grandes aberturas, recomenda-se a adição de aditivos antiUV à composição.

A escolha por mantas ou placas depende do orçamento reservado. As mantas, com larguras entre 0,6 m e 2 m, são ideais para locais onde a limpeza é imprescindível, pois formam um conjunto monolítico, que inclui o rodapé. Por não apresentar emendas, evita o acúmulo de poeira, condição de limpeza necessária a instalações hospitalares e laboratórios. Já as versões em placas podem ser encontradas em diferentes medidas e formatos. Uma de suas principais vantagens é a facilidade de substituir partes danificadas sem afetar o restante do revestimento. Além do uso industrial e hospitalar, os pisos vinílicos também são muito utilizados em espaços comerciais, como lojas e supermercados. “As juntas fechadas desses pisos recebem bem os carrinhos com rodas de poliuretano, e o material tem grande capacidade de absorção acústica, além de ter manutenção simples”, explica Cristina Kanaciro, pesquisadora do IPT que participou da elaboração da norma NBR 7374 editada em 2006, que define requisitos de resistência, métodos de classificação e usos específicos, e tipos de ensaios.

A correta especificação do piso vinílico depende de um contrapiso perfeitamente nivelado, pois qualquer pequena deformação é revelada na superfície externa da placa ou manta. Pela mesma razão, até modelos destinados a alto tráfego são facilmente riscados por objetos pontiagudos, sendo necessária a utilização de protetores de feltro em todos os pés de mobílias frequentemente deslocadas. Além disso, o piso vinílico não aceita areia ou terra, que pode marcar sua superfície.

Os pisos vinílicos servem para revestir ambientes internos, com tráfego médio e intenso, como escolas, hospitais, lojas de varejo, escritórios e residências, entre outros.

Entre as suas principais vantagens estão a facilidade e rapidez de instalação, além da eliminação de sujeira e entulho na obra. Apesar de simples, um dos maiores erros na aplicação é a preparação inadequada do contrapiso. Se mal preparado pode ocasionar deformações, devendo, portanto, estar bem liso e nivelado.

Outra grande vantagem é que piso vinílico pode ser instalado sobre pisos já existentes, tais como cerâmicos, granilite, epóxi, mármores e granitos, painel wall (em mezanino), contrapiso de argamassa, concreto industrial e sobre o próprio piso vinílico.

A paginação deve ser sempre concebida antes, pelo arquiteto ou pelo cliente, e exige muita atenção por parte do instalador, para que o corte das peças e a transferência dos desenhos saiam de acordo com o projeto original.

Por Af Decor, com as informações de Revista Techne

Facebook Twitter Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>